A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Manuel Amaro
Alvarenga
Serrana
...

Ramal de Cravinhos-1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 1999
...
 
 
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1910-1956)
ALVARENGA
Município de Serrana, SP
Ramal de Cravinhos - km 20,387 (1937)   SP-0907
Altitude: -   Inauguração: 01.06.1910
Uso atual: abandonada (2004)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 1910
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Cravinhos teve o nome derivado do fato que o ramal estava situado todo ele dentro desse município, na época de sua inauguração em 1910. Em 1914, o ramal chegou até o distrito de Serrinha - depois município de Serrana - que se tornou o ponto final deste curto ramal de bitola 60 cm. Da estação de Bifurcação, saía um ramal mais curto, de quase 16 km, o ramal de Jandaia. O ramal de Cravinhos, já bastante deficitário então, foi desativado em 1956 pela Mogiana e teve os trilhos arrancados logo depois, principalmente pelo fato de seus trilhos estarem atrapalhando a construção da via Anhanguera, naquele trecho, que então estava em obras para sua abertura até Ribeirão Preto. Das estações, todas sobreviveram, exceto a terminal de Serrana.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Alvarenga foi inaugurada pela Mogiana em 1910, de acordo com seus relatórios, mas não consegui saber se já existia uma estação ali, antes de a Cia. ter adquirido a E. F. Vicinal de Ribeirão Preto, ferrovia particular que operava a linha.

O jornal Diário da Manhã, de Ribeirão Preto, de 31/05/1910, publicava o seguinte: "Companhia Mogyana - Em primeiro de junho proximo futuro serão abertas ao trafego publico de passageiros, mercadorias e para serviços telegraphicos as estações de Bifurcação no kilometro 15 e Alvarenga no kilometro 21 do ramal de Cravinhos, e tambem as estações de Fagundes e Arantes nos kilometros 10 e 16 do sub-ramal de Jandaia. Campinas, 14 de maio de 1910. José Pereira Rebouças - Inspetor Geral."

"Morei, nos dois primeiros meses, abril e maio de 1910, na séde do districto de paz de Serrinha, hoje estação de Serrana, da Mogyana, ramal de Cravinhos, da bitola de 0,60 m. Em julho, depois das férias, que passei em Cravinhos, no hotel, passei a residir na Fazenda Figueira, do dr. Antonio Barbosa Ferraz Junior, situada à margem do Tamanduázinho, na estação de Alvarenga, então ponta dos trilhos do ramal. Deu-me pensão gratuita o dr. Zoroastro Arantes, administrador da Fazenda. Esse quarto era ao lado do escriptorio, em frente à casa senhorial". O relato está no caderno de memórias de Sud Mennucci, meu avô, que, depois de formado, teve seu primeiro cargo de professor na escola masculina do bairro de Alvarenga, onde lecionou de 01/04/1910 a 16/07/1911.

A estação realmente ficava às margens do riozinho citado, e havia acabado de ser inaugurada. Por sua vez, a sede da fazenda ficava a pouco menos de um quilômetro dali.

Em 1932, meu avô, já consagrado como professor, jornalista, escritor e, na época, no cargo de Diretor-Geral do Ensino do Estado, visitou a cidade de Cravinhos em viagem oficial e fez questão de visitar a velha fazenda, onde não ia havia vinte e dois anos. Na época, foi recebido na fazenda pelo administrador da época, sr. José Cesário Filho, juntamente com as comitivas que acompanharam as duas partes. Naquele dia (21/05/1932), foi batida a fotografia abaixo, à frente da velha casa senhorial.

Em 1956, a estação foi suprimida, junto com o ramal inteiro (*RM-1956).

Embora pessoas da fazenda Figueira, onde estava o prédio, tenham afirmado que a estação havia sido demolida, ela estava lá, localizada pelo jornal A Tribuna, de Cravinhos, em reportagem de março de 2004: abandonada e bastante descaracterizada, cercada e com janelas frontais, já sem a plataforma e dando a impressão de que chegou a funcionar como um curral.


ACIMA: Sud na Fazenda da Figueira, em 21 de maio de 1932. A fazenda era muito próxima à estação de Alvarenga e foi ali que Sud Mennucci se hospedou quando foi professor pela primeira vez em uma escola rural do então município de Cravinhos e Alvarenga ainda era ponta de ramal (Acervo Ralph M. Giesbrecht).
     

A estação abandonada de Alvarenga, em março de 2004. Foto do jornal A Tribuna, de Cravinhos, SP
   
     
     
Atualização: 26.06.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.