A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Fracalanza
Campos do Jordão
Damas
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2004
...
 
E. F. Campos do Jordão (1919-)
CAMPOS DO JORDÃO
(antiga ABERNÉSSIA)
Município de Campos do Jordão, SP
Linha-tronco - km 42,8   SP-1071
Altitude: 1.585 m   Inauguração: 12.11.1919
Uso atual: parada de trens   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1975
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Campos do Jordão foi aberta a partir da estação ferroviária de Pindamonhangaba, na E. F. Central do Brasil, pelos médicos sanitaristas Emílio Ribas e Victor Godinho em 1914, para o transporte de doentes respiratórios para o hospital na então vila de Campos do Jordão. Um ano depois a ferrovia, com problemas financeiros, foi encampada pelo Governo do Estado. Os primeiros trens eram a vapor, substituídos por trens a gasolina em 1916 e pelos elétricos em 1924. A partir de 1972 passou a ser gerida pela Secretaria de Turismo do Estado. Os trens passaram a ser turísticos, embora praticamente diários. O trecho da baixada, até Piracuama, continua a ter trens de subúrbio da cidade de Pindamonhangaba. No trecho da ferrovia que fica na área urbana de Campos do Jordão, bondes elétricos fazem também o percurso.
 
A ESTAÇÃO: Esta estação foi construída no que foi a primitiva área urbana da cidade de Campos do Jordão, em 1919. Era um prédio simples de madeira, que, nos anos 1920, provavelmente com a eletrificação da ferrovia, em 1924, foi ampliado.

A linha original da EFCJ chegava apenas até os Sanatórios e neste ano foi prolongada até Vila Abernéssia, que deu o nome à estação.

Nos anos 1940, a estação teve o nome alterado para Campos do Jordão, mas o nome Abernéssia permaneceu nomeando a vila. Mais tarde, com o desenvolvimento do turismo na cidade, a ponta da linha se desenvolveu mais (Vila Capivari) e Abernéssia perdeu em importância.

Atualmente, a estação parece ser conhecida de novo pelo nome do bairro, mas o prédio já é outro, construído em 1975, com estilo alpino.

Ficou sem ser parada por mais de 20 anos até que em junho de 2014 voltou a ser parada dos trens vindos de Pindamonhangaba, funcionando como local de venda de passagens de seus trens e como ponto de embarque e desembarque de passageiros de ses bondes turísticos. Para isso foi seu interior foi reformado, instalado sistema de venda informatizada de passagens, bem como isolada a plataforma, que se transformou em área paga, sendo liberado o acesso após o final do horário operacional. Além de estimular a vinda de turistas de Capivari para Abernéssia, a bilheteria dessa estação ajuda a descongestionar a venda de passagens na estação de Emilio Ribas, em Capivari, a mais movimentada da rede.

1924
AO LADO:
A estação ganha uma loja (O Estado de S. Paulo, 25/10/1924).

ACIMA: Estação de Campos do Jordão em 1960 (Foto Tibor Jablonski). ABAIXO: Loteamento do bairro Bela Vista em 1949 (CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA VÊ-LA EM TAMANHO MAIOR). Note que a estação de Abernessia (à direita, no alto) aparece como referência para o caminho até o bairro (Folha da Manhã, 20/3/1949).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Ayrton Camargo e Silva; Tibor Jablonski; Ricardo Koracsony; Marco Giffoni; A Cigarra, 1920)
     

A primitiva estação no final dos anos 1910. Foto cedida por Marco Giffoni

A segunda estação, em 1920. A Cigarra, maio de 1920

A estação em 2002. Foto Ricardo Koracsony

A estação reaberta em 2014. Foto Ayrton Camargo da Silva

Hall da estação em 2014. Foto Ayrton Camargo da Silva
 
     
Atualização: 03.11.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.