A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Engenheiro Trindade
Engenheiro Goulart
USP-Leste
...

variante de Poá - 1970
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2009
...
 
E. F. Central do Brasil (1926-1975)
RFFSA (1975-1994)
CPTM (1994-)
ENGENHEIRO GOULART
Município de São Paulo, SP
Variante de Poá - km 490,875 (1960)   SP-0308
Altitude: 731 m   Inauguração: 07.02.1926
Uso atual: estação da CPTM   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 04.08.2017
 
 
HISTORICO DA LINHA: A variante de Poá, também chamada de variante de Calmon Viana, teve a construção iniciada em 1921, mas a linha foi aberta somente em 1/1/1934, depois de uma interrupção de oito anos nas obras. Ela tinha um traçado mais suave em termos de curvas e aclives quando comparada com a linha original que seguia de Poá ao Tatuapé, no ramal de São Paulo, daí sua construção. Começava na estação de Calmon Viana e terminava na Sexta Parada (Eng. Gualberto) do ramal de São Paulo. Com o tempo, foi se transformando em linha de trens de subúrbio, os trens metropolitanos de hoje, e é uma das linhas mais movimentadas da CPTM em São Paulo, embora com os piores trens.
 
A ESTAÇÃO: Como quase todas as estações da variante de Poá, a estação de Engenheiro Goulart foi inaugurada oficialmente em 1926, data em que o primeiro trem de passageiros trafegou pelo ramal.

Fechado o tráfego poucos meses depois, ele e a estação foram reabertos somente em 1934.

Em 1959, um grande desastre com os trens de subúrbio da Central, relatado de forma escandalosa pela revista O Cruzeiro, em sua edição de 27 de junho: o acidente se deu 22 dias antes, em 5 de junho. 50 mortes e 120 feridos, quando dois trens estavam trafegando em sentido contrário na mesma linha. O UP-240, "superlotado de trabalhadores", e o UP-237, com poucos passageiros, ambos trens de subúrbio. Este último deveria aguardar na estação de Engenheiro Goulart, que o primeiro passasse. Porém, o chefe da estação ordenou a partida do UP-237, fazendo com que, às 18:20, ambos se chocassem. Uma das pessoas que correram para ajudar foi fulminada por ter encostado na rede elétrica da via. A culpa caiu toda sobre o chefe da estação. A reportagem da Folha da Manhã de 6/6/1959 pode ser vista aqui e aqui.

O prédio original
foi demolido nos anos 1970.

Desde 1994, a estação está sendo operada pela CPTM na variante que
tinha, até o início de 2008, os piores trens de toda a sua rede. Na verdade, o prédio é a pequena bilheteria, que não aparece em menhuma das fotos, ficando ele à beira da avenida. Passando a catraca, entra-se na área da plataforma com cobertura de concreto. Hoje tudo mudou: os trens são novos e há mais estações na linha.

Em 22 de junho de 2014, foi o último dia da atual estação Eng.º Goulart. Porém, a partir de 23/06/2014, iniciaram-se as obras para a nova linha 13 - Jade da CPTM que se iniciaria em Eng.º Goulart. Os passageiros deveriam usar a linha de ônibus a ser implantada para traslado até a estação USP Leste.

O prazo era de 18 meses para que uma nova estação com o mesmo nome voltasse a funcionar. Em 4 de agosto de de 2017 ela foi reaberta com um prédio totalmente novo:

"A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) inaugurou nesta sexta-feira, 4, a primeira estação da Linha 13-Jade, que ligará a malha ferroviária até o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, em 2018. A Estação Engenheiro Goulart, na zona leste da capital paulista, que já atendia a Linha 12-Safira, havia sido fechada para reformas. O novo espaço tem área de 1,5 mil metros quadrados, ante os 500 metros quadrados que tinha antes, e agora atenderá as Linhas 12 e 13. Reformada, a nova estação tem agora 16 catracas e, segundo o governo do Estado de São Paulo, acessibilidade nas plataformas. Há ainda na estação um bicicletário para 152 vagas. A Linha 13-Jade, quando for inaugurada e tiver 12,2 km, deve receber 130 mil pessoas por dia. "É uma grande conquista para São Paulo. Uma grande estação, com 15 mil metros quadrados, elevadores, escadas rolantes, acessibilidade, passarela ligando ao Parque Ecológico do Tietê e bicicletário", comentou o governador Geraldo Alckmin durante a entrega da estação" (Isto é, 4/08/2017).


ACIMA: Venda de lotes em Engenheiro Goulart usando a ferrovia como alavanca de venda, mesmo quando a estação estava em início de construção. E, pelo que consegui comparar com os mapas de hoje, esse loteamento jamais foi construído. - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VER O ANUNCIO INTEIRO (O Estado de S. Paulo, 11/11/1925). ABAIXO: Outra venda de lotes em Engenheiro Goulart usando a ferrovia como alavanca de venda, 25 anos mais tarde, em 1950 - CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VER O ANUNCIO INTEIRO (Folha da Manhã, 3/12/1950).


AO LADO: Trem da CPTM incendiado em 10/2/1999, junto à estação de Engenheiro Goulart, vista ao fundo. (O Estado de S. Paulo, 11/2/1999).
(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Rafael Asquini; Carlos R. Almeida; Paulo Lima; William Gimenez; Adriano Martins; G1; Folha da Manhã, 1959; O Estado de S. Paulo, 1925 e 1999; Isto é, 2017; O Cruzeiro, 1959; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Plataforma, sem data. Foto cedida por William Gimenez

A plataforma da estação, em 24/09/2000. Foto Ralph M. Giesbrecht, tirada do trem

Plataforma da estação, em 07/06/2006. Foto Adriano Martins

A nova estação, ainda em obras em março de 2017. Foto G1

A nova estação em 12/8/2017. Foto Rafael Asquini
     
Atualização: 16.08.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.