A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Cosmópolis
Artur Nogueira
Engenheiro Coelho
...

Ramal de P. Salles - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2016
...
 
Cia. Carril Funilense (1907-1921)
E. F. Sorocabana (1921-1960)
ARTUR NOGUEIRA
Município de Artur Nogueira, SP
Linha-tronco da Funilense - km   SP-0960
Ramal de Pádua Salles - km 51,927   Inauguração: 01.1907
Uso atual: demolida (1976) e depois reconstruída (2010) - salão de eventos (2017)   sem trilhos
Data de construção do prédio atual: 2010 (réplica)
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Cia. Carril Funilense foi inaugurada em 18/09/1899 pela Cia. Agrícola Funilense, de Funil (hoje Cosmópolis), com bitola de 60 cm, saindo do centro de Campinas e chegando até a atual Cosmópolis, na época chamada de Barão Geraldo de Rezende. Em 1904, por parte de um empréstimo não honrado, o Governo do Estado ficou com a ferrovia. Em 1906, a bitola foi ampliada para a métrica; em 1913, a ferrovia já chegava ao seu ponto máximo, em Pádua Salles, margem do rio Mogi-Guaçu. Em 01/09/1921, a Sorocabana incorporou a linha, que em 1924 passou a sair da nova estação da EFS em Campinas, e com o nome de Ramal de Pádua Salles, com 93 quilômetros. A linha foi fechada no início de 1960, tendo os trilhos arrancados pouco tempo depois. Hoje são bem poucos os resquícios da velha Funilense.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Arthur Nogueira, cujo nome foi dado em homenagem um dos diretores da Funilense, foi aberta pela já estatizada Funilense em 1907, como ponta do primeiro prolongamento da linha após a abertura da mesma em 1899.

A data de janeiro de 1907 aparece nos relatórios da Sorocabana; há literatura, contanto, que dá a data de 21 de junho de 1906 como sendo o da chegada do trem a Arthur Nogueira. E há outra data: o relatório Estatística das Estradas de Ferro do Brasil Relativo ao Anno de 1920, da Inspectoria Federal das Estradas do Ministério da Viação e Obras Publicas, a estação foi inaugurada a 21/06/1908 (mesma data da inauguração da estação Carlos Botelho).

O prolongamento da linha passava em terras da fazenda São Bento, de propriedade de Arthur Nogueira, que os doou à ferrovia em 1905; a estação acabou sendo fincada no loteamento seguinte à fazenda, a pedido de seu proprietário, Fernando Arens, considerado o fundador da cidade. Essa nova cidade tinha o nome de Lagoa Seca, pertencente na época a Mogi-Mirim, mas, com a estação tendo outro nome, este acabou por prevalecer. Acabou por dar origem ao atual município com o mesmo nome.

A estação foi reformada em 1938.

Foi finalmente fechada com a linha em 1960 e posteriormente demolida,
em 1976, pela Prefeitura.

Em 2009 a Prefeitura começou a reconstrução da estação, terminada em 2010. Em 2017 estava em bom estado.


ACIMA: Em outubro de 1907, um ministro japonês visitou a E. F. Funilense e foi até sua estação terminal, que, na época, era justamente Artur Nogueira (O Malho, 19/10/1907).

ACIMA: A estação nos anos 1950. Ela aparece no centro, na esquina com a avenida em diagonal, na foto. ABAIXO: A estação também nos anos 1950. Ela aparece no alto, à esquerda (Fotos do livro Artur Nogueira-Berço da Amizade, 2000, de Luiz Carlos Fromberg Ferreira e Sergio Augusto Fromberg Ferreira).

ABAIXO: Retirada dos trilhos da Sorocabana em Arut Nogueira, junto à estação, em 1961 (Foto Alcir Caetano).

Notícia publicada no jornal O Estado de S. Paulo de 7/12/1909 mostra que está "autorizada a despesa de 870$200 réis na execução do serviço de abastecimento de água à estação Arthur Nogueira". Outra, em 30/10/1910, escreve que "O engenheiro Fernando Arens, proprietário da fazenda situada na estação Arthur Nogueira, ponto terminal da linha Funilense, está tratando de fundar alli um povoado, para o que já está construindo casas, entre as quaes, duas para escolas de ambos os sexos que que offerecerá ao governo afim de as instalar".

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; José Carlos Bratfich Jr.; Alcir Caetano; Gustavo Giacon; Marcelo Teodoro de Oliveira, 2009; ECIN; O Estado de S. Paulo, 1909-1910; Correio Popular, Campinas, 2009; E. F. Sorocabana: relatórios anuais, 1922-61; Luiz Carlos Fromberg Ferreira e Sergio Augusto Fromberg Ferreira: Artur Nogueira-Berço da Amizade, 2000; Inspectoria Federal das Estradas do Ministério da Viação e Obras Publicas: Estatística das Estradas de Ferro do Brasil Relativo ao Anno de 1920, 1921; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação em 1907. "Artur Nogueira-Berço da Amizade", 2000, de Luiz Carlos Fromberg Ferreira e Sergio Augusto Fromberg Ferreira)

A estação original na época da inauguração (1907/8). Acervo ECIN

A estação já sem trilhos e isolada, em 1966. Foto Alcir Caetano

A estação já sem trilhos e isolada, em 1966. Foto Alcir Caetano

A reconstrução da estação em andamento em agosto de 2009. Foto Gustavo Giacon

A estação já reconstruída, em fevereiro de 2010. Foto Gustavo Giacon
     
Atualização: 21.07.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.