A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
José Honório
São Sebastião do Paraiso
S. S. do Paraiso-Mogiana
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. São Paulo-Minas (1911-1971)
FEPASA (1971-c.1990)
SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO
Município de São Sebastião do Paraizo, MG
Linha-tronco original - km 136,612 (1960)   MG-1390
Altitude: 928 m   Inauguração: 15.05.1911
Uso atual: sede do Corpo de Bombeiros do município (2010)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1911
 
 
HISTORICO DA LINHA: As origens da E.F. São Paulo-Minas remontam a 1891, quando um médico da cidade de São Simão resolveu construir uma linha (Cia. Melhoramentos São Simão) que seguisse do centro até a fazenda Santa Maria. A empresa fechou em 1895, mas foi sucedida pela V. F. São Simão, em 1897. Esta se tornou em 1902 a E.F. São Paulo-Minas, quando passou a sair da estação de Bento Quirino e não mais do centro, sendo abandonada a linha que ligava este a Santa Maria, muito mais longa. A linha atingiu seu ponto máximo em 1911, quando alcançou São Sebastião do Paraíso, em Minas. A empresa mudou de donos mais vezes, até que em 1930, em dificuldades financeiras e dois anos após implantar um ramal de Serrinha (Ipaúna) a Ribeirão Preto, foi encampada pelo Estado. Em 1968, passou a ser administrada pela Mogiana, que fechou o trecho entre São Simão e Ipaúna. Em 1971, a SPM foi uma das cinco empresas fundidas para formar a Fepasa. Trens de passageiros correram até 1976. Atualmente a linha, de Ribeirão Preto até São Sebastião do Paraízo, está abandonada em quase toda a sua extensão.
 
A ESTAÇÃO: A estação de São Sebastião do Paraíso foi aberta em 1911 e era o ponto final da E. F. São Paulo-Minas.

Apenas três anos mais tarde, foi aberta também na cidade uma nova estação, com o mesmo nome, mas da Mogiana, estação esta que pertencia ao ramal de Passos e que ligava Guaxupé a Passos.

As duas estações foram ligadas entre si por trilhos.

Em 1976, os trens de passageiros deixaram de circular pela São Paulo-Minas, e apenas um ano depois, pela Mogiana, naquele ramal. Na época, tudo já era Fepasa. Os trilhos atravessavam a atual avenida onde hoje estão as duas estações, passava em diagonal na frente da estação da São Paulo-Minas e entrava no pátio. Os trilhos dela foram retirados antes de 1980 e unificados com os da Mogiana. Posteriormente, foi feito o desvio (por volta de 1990) por fora da cidade, desviando o tráfego da estação da Mogiana diretamente para Itaú de
Minas.

Em
1982 foi inaugurado um Centro Social Urbano (uma praça de esportes), e neste ano os trilhos já não estavam mais lá.

A linha Ribeirão Preto-Passos, agora formada e que na verdade não alcançava Passos, mas sim Itaú de Minas (pouco antes), por causa do transporte de cimento da fábrica hoje da Votorantim, não durou muito: em meados dos anos 1990 já estava tudo abandonado, e assim permanecia em 2014.

A estação em 2010 era a sede do Corpo de Bombeiros da cidade.

(Veja também SÃO SEBASTIÃO DO PARAISO - CIA. MOGIANA)

AO LADO: Diminuição dos trens de passageiros cria problemas para a cidade (O Estado de S. Paulo, 30/1/1914).




AO LADO: Em 1929, as duas estações quase no mesmo ponto causavam problemas no trânsito da cidade (O Estado de S. Paulo, 28/2/1929).

ACIMA: Posição, em 2010, das duas estações ferroviárias de São Sebastião do Paraíso, da São Paulo-Minas e da Mogiana (Google Maps, diagramação Tárcio Candiani).

(Fontes: Nilson Rodrigues; Marcelo Mathias; Fabio Minatti; Dantas Nunes; O Estado de S. Paulo, 1929; FEPASA: Relatório de instalações fixas, 1986; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960)
     

A estação nos tempos de Ademar governador (anos 1940?) Acervo Fabio Minatti

A estação nos "bons tempos". Acervo Marcelo Mathias

A estação em 1986, ainda com seus trilhos. Foto do relatório de instalações fixas da Fepasa

A estação em 2010. Foto Nilson Rodrigues

A estação em 2010. Foto Nilson Rodrigues
 
     
Atualização: 01.06.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.