A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Guatambu
Araçatuba
Ferdinando Laboriau
...

Tronco NOB - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: 1994
...
 
RFFSA (1992-1996)
ARAÇATUBA (quarta estação)
Município de Araçatuba, SP
Linha-tronco - km 237 (1992)   SP-0931
Altitude: -   Inauguração: 1992
Uso atual: abandonada (2017)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1992
 
 
HISTORICO DA LINHA: A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil foi aberta em 1906, seguindo a partir de Bauru, onde a Sorocabana havia chegado em 1905, até Presidente Alves, em setembro de 1906. Em janeiro de 1907 atingia Lauro Müller, em 1908 Araçatuba e em 1910 atingia as margens do rio Paraná, em Jupiá, de onde atravessaria o rio, de início com balsas, para chegar a Corumbá, na divisa com a Bolívia, anos depois. O trecho entre Araçatuba e Jupiá, que até 1937 costeava o rio Tietê em região infestada de malária, foi substituído nesse ano por uma variante que passou a ser parte do tronco principal, enquanto a linha velha se tornava o ramal de Lussanvira. Em 1957, a Noroeste passou a fazer parte da RFFSA. Transportou passageiros até cerca de 1995, quando esse transporte foi suprimido. Em 1996, a RFFSA deu a concessão da linha para a Novoeste, que transporta cargas até hoje.
 
A ESTAÇÃO: Em 1992, a RFFSA retirou os trilhos da área central da cidade de Araçatuba, transferindo a linha para fora dela, contruindo uma quarta estação, cedendo a pressões da região que afirmavam ser a estação da época (a terceira de Araçatuba) causadora de problemas no trânsito, por cortar a cidade ao meio.

Na época, a freqüência de passageiros nos trens já era baixa, o que causava baixo uso por eles para embarque ou desembarque na estação, tanto que, em 1995, esse transporte acabou sendo extinto. É claro que, com uma estação construída a cerca de 15 km fora da área urbana, como esta que seria a quarta estação, o movimento de passageiros nela tornou-se praticamente nulo.

Sua construção, entretanto, era projeto dos anos 1980 e (veja foto abaixo) em 1986 já estava tudo terraplanado e demarcado, mas somente seis anos depois as obras foram completadas, seguindo a passo de tartaruga. Para que coberturas de plataformas tão compridas se a estação serviu a passageiros por pouquíssimo tempo?

A estação desativada serviu por algum tempo como depósito de vagões danificados e em sua maior parte esteve vazia e abandonada. Mesmo assim ainda mantinha dois funcionários da Novoeste em 2002.

Segundo Ismael Gobbo, esta estação fica tão próxima da estação de Ferdinando Laboriau (que sempre foi a seguinte em relação à estação de Araçatuba) que "quase dá para ver uma da outra".

Estava em julho de 2017 totalmente abandonada, destelhada, suja, com todo o material elétrico que nela existia roubado (há anos), etc, etc, etc...

(Ver também: Araçatuba (primeira estação), Araçatuba (segunda estação) e Araçatuba (terceira estação))


ACIMA: Como diversos pátios maiores do interior paulista, a estação de Araçatuba é hoje também um depósito de material rodante abandonado. Carros de passageiros ainda com o logotipo da RFFSA estão apodrecendo em seus desvios, como pode ser visto nesta foto de 3/2006 (Foto Luciano Lustosa). ABAIXO: Pátio e plataformas da estação de Araçatuba em data desconhecida (Foto Angelo Cardoso).


ACIMA: Esquema da velha e da nova linha (e do ramal de Lussanvira) em Araçatuba feito em 2011 (CLIQUE SOBRE A FOTO PARA VÊ-LA EM TAMANHO MAIOR) (Diagrama: Roberto Garcia).

(Fontes: Silvio Rizzo; Odilio Pereira de Queiroz Neto; Angelo Cardoso; J. H. Bellorio; Roberto Garcia; Luciano Lustosa; Ismael Gobbo; O Estado de S. Paulo, 1992; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A terraplanagem e demarcação da futura estação, em 1986. Foto J. H. Bellorio

A estação em fase final de acabamento. Foto O Estado de S. Paulo, 28/4/1992

A estação, em 15/05/2001. Foto J. H. Bellorio

A estação, em 15/05/2001. Foto J. H. Bellorio

A estação, em 15/05/2001. Foto J. H. Bellorio

A estação, em 15/05/2001. Foto J. H. Bellorio

A estação em 3/2006. Foto Luciano Lustosa

A estação em 1/11/2013. Foto Odilio Pereira de Queiroz Neto

A estação em 8/5/2017. Foto Silvio Rizzo
     
Atualização: 04.09.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.