A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Cascalho
Pontal
Cândia
...
Saída para o ramal de Sertãozinho:
Francisco Schmidt
...

ramal de Pontal - 1950
...
ESTIVE NO LOCAL: SIM
ESTIVE NA ESTAÇÃO: SIM
ÚLTIMA VEZ: 2003
...
 
Cia. Paulista de Estradas de Ferro (1903-1970)
Cia. Mogiana de Estradas de Ferro (1970-1971)
FEPASA (1971-1998)
PONTAL
Municípios de Sertãozinho (1903-1935);
Pontal (1935-), SP
Ramal de Pontal - km 14,500 (1938)   SP-2725
Altitude: 575 m   Inauguração: 25.03.1903
Uso atual: em ruínas (2019)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1903
 
 
HISTORICO DA LINHA: O ramal de Pontal, da Cia. Paulista, se originou do ramal do Mogi-Guaçu, aberto em 1903 ligando Rincão a Pontal. A partir de 1914, Pontal foi ligada ao ramal de Sertãozinho, da Mogiana, pelo acordo entre as duas companhias. Em 1930, com a consolidação do tronco de bitola larga da Paulista passando pelo trecho entre Guatapará e Passagem, o agora ramal de Pontal ficou sendo apenas a parte entre esta última e Pontal. Já havia um ano, entretanto, Pontal estava ligada a outra ferrovia, a E. F. Morro Agudo, que partia dali e atingia Morro Agudo, com 41 km de linha. Com a compra desta ferrovia pela Paulista, em 1952, depois de anos de administração da linha, a ferrovia foi incorporada e passou a fazer parte do ramal de Pontal. Em 16/09/1966, o trecho da antiga EFMA foi fechado e os trilhos retirados. Em 1970, o trecho Passagem-Pontal foi unido à Mogiana administrativamente, passando a constituir um ramal único, sem necessidade de baldeações. Em 1971, passou para a Fepasa, e poucos anos depois, o tráfego de passageiros foi suprimido. O ramal está abandonado há anos, sem movimento de cargas, e em 1998 passou a ser propriedade da concessão da Ferroban.
 
A ESTAÇÃO: A estação de Pontal foi inaugurada em 1903, em terras da fazenda das Contendas, tendo sido o prédio construído por Acácio de Mesquita. Segundo Roberto Vasconcellos Martins, foi a estação que originou a cidade. Era, na época, ponta de linha do ramal do Mogi-Guaçu, que saía de Rincão. Na mesma época foi desmanchada a infraestrutura da linha de navegação, inclusive o porto de Pontal, que havia sido inaugurado em 1885 (ver caixa abaixo, de 1885).

Como consequência de um dos acordos com a Mogiana para três pontos de baldeação de linhas, em 1914 passou a se ligar às linhas do ramal de Sertãozinho, da Mogiana.

Em 1927, a Paulista comprou um trecho da São Paulo-Goiaz, entre Passagem e Bebedouro, e o transformou, aumentando sua bitola, em parte de sua nova linha-tronco; o trecho do ramal de Mogi-Guaçu, que ficou fora da transformação, entre Passagem e Pontal, passou a se chamar, então, ramal de Pontal.

Em 1929, a Paulista passou a administrar a Cia. Estrada de Ferro Morro Agudo, particular, e cuja linha partia também de Pontal, seguindo até Morro Agudo, 40 km à frente.

Em 1952, a Paulista comprou essa ferrovia e a incorporou formalmente ao ramal de Pontal, que estava, então, prolongado até Morro Agudo. Este trecho final acabou por ser extinto em 16 de setembro de 1966, voltando Pontal a ser ponta do ramal, mas ainda ligado ao ramal de Sertãozinho, da Mogiana.

Em 01/04/1970, foi assinado um contrato de comodato entre a Paulista e a Mogiana, que cedia por 20 anos a operação do trecho Passagem-Pontal a esta última. Com isto, Pontal passou a ser operada pela Mogiana. Acabavam, então, as baldeações de passageiros e cargas na estação. Com a constituição da Fepasa, em novembro de 1971, o comodato perdeu o sentido.

Em 1986, a
estação de Pontal estava ainda aberta e trocava staff.

Em 2007 estava abandonada, mas ainda com trilhos cobertos de mato, pois o ramal não foi oficialmente extinto. Isto até o dia 22 de agosto de 2007, quando a Prefeitura começou a retirar os trilhos que passavam pela cidade, sem que tivesse poderes para tanto, pois, abandonados ou não, os trilhos do ramal todo eram concessionados atualmente à Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), que não os usava mas tinha obrigação de conservá-los - coisa que também não faz.

"A estação está inteira destruída, o telhado está caindo, arrancaram as portas, ano passado (2007) o prefeito começou uma retirada irregular dos trilhos que passam aqui pela cidade, mas foi denunciado, mesmo assim, arrancou grande parte da linha. O armazém ainda está de pé, usado pela prefeitura, as casas da ferrovia estão de pé também" (Henrique Torres,
11/2008
).

Em 2018 estava em ruínas. Somente estavam as paredes em pé; o telhado já havia caído todo. O armazém ainda estava com telhado, mas em péssimo estado.

1885
AO LADO:
A navegação fluvial vai começar - de Porto Ferreira a Pontal. A estação ainda era um porto e em ponto diferente. Uberaba estava a 15 léguas daqui - cerca de 90 quilômetros (A Provincia de S. Paulo, 25/1/1885).
1903
AO LADO:
Inauguração da estação de Passagem - que depois virou Pitangueiras - e de Pontal em 1903 - este era o "corrente ano" citado aí (O Estado de S. Paulo, Relatorio anual da Cia. Paulista, 30/06/1903).
1906
AO LADO:
Interrupção do trecho da Paulista até Pontal faz transporte provisorio vir da estação de Guarani durante pelo menos um dia (O Estado de S. Paulo, Relatorio anual da Cia. Paulista, 22/2/1907).

1924
AO LADO:
Acidente entre as estações de Passagem e de Pontal (que ainda pertencia ao município de Sertãozinho nesta época) (O Estado de S. Paulo, 23/5/1924).

ACIMA: Mapa publicado na imprensa no dia da inauguração da ferrovia Pontal-Morro Agudo (O Estado de S. Paulo, 15/8/1929).

1950
AO LADO: Pelas fotografias nesta página, parece que jamais esta promessa foi realizada - ou seja, a estação ficou a mesma (Folha da Manhã, 7/5/1950).

ACIMA: O pátio da estação de Pontal em 13/8/2011 (Foto Rodrigo Flores).

(Fontes: Ralph M. Giesbrecht, pesquisa local; Rodrigo Flores; Mariana Neves; Henrique Aparecido Torres; Angelo_; Revista de Ribeirão Preto, 1939; O Estado de S. Paulo, 1929; Folha da Manhã, 1950; O Estado de S. Paulo, 1924; Arquivo Municipal de Ribeirão Preto; Cia. Paulista: relatórios anuais, 1875-1970; Cia. Paulista: Álbum de 50 anos, 1918; Mapa - acervo R. M. Giesbrecht)
     

A estação de Pontal em 1918. Álbum dos 50 anos da Cia. Paulista

A estação de Pontal (ao fundo) em 1918. Álbum dos 50 anos da Cia. Paulista

Em 1939, a inauguração da litorina da Mogiana que fazia o trecho Pontal-Ribeirão Preto. Foto da Revista de Ribeirão Preto, Arquivo Municipal de Ribeirão Preto

Em 17/11/1998, a estação de Pontal. Foto Ralph M. Giesbrecht

Em 17/11/1998, a estação de Pontal. Foto Ralph M. Giesbrecht

A estação abandonada em 2007. Foto Angelo

A estação em 1/2011. Foto Rodrigo Flores

A estação em ruínas em 5/2/2012. Ao lado, a linha sendo reformada. Foto Mariana Neves

A estação em 5/10/2018. Foto Silvio Rizzo
     
Atualização: 14.04.2022
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.