A B C D E
F G H I JK
L M N O P
Q R S T U
VXY Mogiana em MG
...
Presidente Bernardes
Santo Anastácio
Jarbas Trigo
...

Tronco EFS - 1935
...
ESTIVE NO LOCAL: NÃO
ESTIVE NA ESTAÇÃO: NÃO
ÚLTIMA VEZ: N/D
...
 
E. F. Sorocabana (1920-1971)
FEPASA (1971-1998)
SANTO ANASTÁCIO
Município de Santo Anastácio, SP
Linha-tronco original - km 840,375 (1924); km 827,365 (1931) (*); km 779,432 (1960) (**)   SP-0701
Altitude: 435 m   Inauguração: 25.07.1920
Uso atual: casa da cultura (2009)   com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1939
(*) As quilometragens foram alteradas em 1928, devido às retificações feitas entre São Paulo e Iperó neste ano e em 1953, (**) devido às retificações feitas entre Conchas e Manduri neste ano.
 
 
HISTORICO DA LINHA: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência. Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor. Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela. Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.
 
A ESTAÇÃO: De acordo com Celso Jaloto Ávila Jr., em seu livro "Santo Anastácio - A História de uma Cidade", a Sorocabana teve problemas com um corte no trajeto que levava a Santo Anastácio, depois de Guarucaia (Presidente Bernardes). O volume de terra a ser removido era grande demais para a época, e o pessoal de locação ia e vinha do trecho a fim de estudar alternativas de passagem. Tal fato levou à sugestão para o nome da estação: Vaivem, sugestão do engenheiro João Carlos Fairbanks ao Engenheiro Huet Bacellar. Parece que a estação acabou sendo inaugurada com esse nome, que logo a seguir foi trocado para Santo Anastácio, nome de uma fazenda e de um rio próximos ao local. O rio, aliás, já tinha este nome em 1900, conforme mapa da época.

No entanto, outros historiadores, como o da história que é contada na Enciclopédia de Municípios Brasileiros do IBGE, em 1958, dizem que o povoado, "com meia dúzia de casas, uma máquina de benefício de arroz e de café, de propriedade de Manoel Falcão" já existia em 1918, quando o trem parava a 100 km dali, em Indiana; embora cite o engenheiro Fairbanks, nada fala sobre o nome "Vaivem".

Aberta em 1920, com uma estação que ficava do lado oposto ao atual e que em pouco tempo teria um triângulo de reversão, a estação ganhou um novo edifício já em 1927.

Já em 1921 a cidade tinha dois trens semanais de passageiros partindo para São Paulo.

Não durou muito a segunda construção, pois já no dia 15 de maio de 1939 o prédio foi substituído pelo atual. Segundo Rafael T. Simabuko, a estação foi projetada pelo arquiteto Antonio Arantes Monteiro e executada pela Construtora Azevedo & Travassos. "Uma grande surpresa: Santo Anastácio. Que estação linda! Parece entrada de cinema, com duas escadarias em
curva que conduzem à plataforma lá em cima. Foi uma das mais belas que vi, e estava bem conservada" (Rodrigo Cabredo, 28/10/2000).

"A construção de desvio para carregar madeira e embarcar gado com
linha independente partindo do pátio de Santo Anastácio, na importância de Cr$ 47.860,30" (Relatório da E. F. Sorocabana de 1942).

Foi a última estação a fechar para o embarque e desembarque de passageiros no trecho entre Prudente e Epitácio, e já estava inativa quando esses trens foram suprimidos em janeiro de 1999.

Embora em fevereiro de 2008 estivesse sendo utilizado como Casa da Cultura do município, o prédio estava em mau estado de conservação, segundo informa Celso Bordinassi. Em maio de 2009, estava passando por uma restauração.

OBRAS OCORRIDAS NA ESTAÇÃO E SEU PÁTIO DE ACORDO COM RELATÓRIOS DA EFS: 1934 - Construção de um armazém; Abrigo para tanques de óleo no depósito; Melhoramentos no pátio; construção de armazém de baldeação; instalação de luz no depósito; aquisição e assentamento de um motor a gaz pobre e bomba; colocação de encanamento na casa do agente


ACIMA: Estação de Santo Anastacio em 2013 (Facebook em 15/9/2013. Autor desconhecido).




AO LADO: Notícia da inaugutação do atual prédio da estação de Santo Anastacio (Correio Paulistano, 28/5/1939).

AO LADO: Em 1944, bem como em todos os anos 1940, o problema dos vagões insuficientes no oesta paulista e no Paraná eram constantes (Folha da Manhã, 11/4/1944).




ABAIXO: Reclamação contra o trem "Ouro Verde", um dos mais famosos da Sorocabana, em jornal de 1963 (Folha de S. Paulo, 30/7/1963).

TRENS - De acordo com os guias de horários, os trens de passageiros - pararam nesta estação de 1920 a 1999. Ao lado, um deles no pátio de Rancharia, em 1992. Clique sobre a foto para ver mais detalhes sobre esses trens. Veja aqui horários em 1968: SP-Botucatu e Botucatu-Pres. Epitacio e SP-Mairinque (Guias Levi).
(Fontes: Acervo R. M. Giesbrecht; Adriano Martins; Silvio Rizzo; Gleison de Brito Freire; Lucas Souza; Rodrigo Cabredo; Celso Bordinassi; Rafael T. Simabuko; IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. XXX, 1958, p. 115; Correio Paulistano, 1939; O Imparcial, 1996; Folha da Manhã, 28/5/1939; Folha de S. Paulo, 1963; FEPASA: Relatório de Instalações Fixas, 1986; E. F. Sorocabana: Relatórios anuais , 1919-69; Celso Jaloto Ávila Jr.: Santo Anastácio - A História de uma Cidade; Mapa e desenho - acervo R. M. Giesbrecht)
     

Planta da antiga estação de Santo Anastácio em 1927. Acervo Ralph M. Giesbrecht

Fachada da estação (construída em 1939), em 1986. Foto do relatório da Fepasa, 1986

A estação às vésperas da desativação. O Imparcial, 20/11/1996

Plataforma da estação em outubro de 2000. Foto Rodrigo Cabredo

Estação, 10/2000. Foto Rodrigo Cabredo

Imagem do abandono. Foto Adriano Martins em 01/2003

A estação em 2009. Foto Lucas Souza

A estação em 28/7/2016. Foto Silvio Rizzo
 
     
Atualização: 20.05.2017
Página elaborada por Ralph Mennucci Giesbrecht.